Uma Introdução para Compreender a Trombose

Esta secção faz uma introdução à hemostase, à cascata da coagulação, aos trombos (venosos e arteriais) e aos mecanismos de formação dos mesmos

Nesta secção:

Reproduza o vídeo abaixo onde o Professor Graham Turpie destaca a informação disponível nesta secção

O que é a hemostase?

  • A hemostase é um mecanismo fisiológico ativado para prevenir a perda significativa de sangue após uma lesão vascular
  • O processo depende de uma complexidade de mecanismos que envolvem a activação de plaquetas, outras células e ainda, proteínas sanguíneas específicas conhecidas como fatores de coagulação
  • Quando ocorrem lesões nos vasos sanguíneos, a hemostase é ativada e inicia-se o processo de coagulação
  • A hemostase serve para manter a integridade do sistema circulatório; porém, o processo pode desequilibrar, dando origem a morbilidade e mortalidade significativas
  • O conhecimento do da hemostase é essencial para entender as principais patologiasassociadas à trombose

Clique aqui para saber mais sobre a hemostase

A cascata da coagulação

  • O processo de coagulação que dá origem à hemostase envolve um conjunto complexo de reações envolvendo cerca de 30 proteínas diferentes
  • Estas reações convertem o fibrinogénio em fibrina que, juntamente com as plaquetas, forma um trombo estável
  • Vários modelos da cascata da coagulação já foram propostos, incluindo os modelos das vias intrínseca e extrínseca e ainda, o mais recente modelo celular
  • Com base nestes modelos, a investigação em curso já demonstrou o papel dos outros componentes do processo de coagulação, tais como:as micropartículas e a proteína P-selectina
  • As trombofilias sãodesequilíbrios hereditários ou adquiridos no sistema da coagulação que conduzem a um risco acrescido de trombose
  • Cerca de um em cada três doentes com TEV tem uma trombofilia hereditária

Clique aqui para saber mais sobre a cascata da coagulação

Trombos venosos

  • A formação de um trombo numa veia chama-se trombose venosa
  • Se o trombo se libertar da parede do vaso sanguíneo e percorrer o sistema circulatório, denomina-se deêmbolo
  • Os trombos venosos manifestam-se sobretudo naTVP e na EP
    • A TVP é o tipo de TEV mais frequente, mas os doentes com TVP também correm o risco de sofrer uma EP que pode ser fatal
  • O TEV está associado ao cancro, trauma e cirurgia, tendo já sido identificados vários fatores de risco de predisposição, incluindo gravidez, obesidade e imobilidade
  • O TEV também pode dar origem a complicações graves a longo prazo, incluindo Síndrome Pós-Trombítico (SPT) e Hipertensão Pulmonar Tromboembólica Crónica(HPTEC)

Clique aqui para saber mais sobre a trombose venosa

Formação de um trombo

  • A hemostase é fundamentalpara a sobrevivência no entanto, a formação patológica de um trombo constitui um risco significativo para a saúde
  • Um trombo, forma-se quando existe um desequilíbrio no sistema de coagulação. No extremo, pode levar à obstrução do fluxo sanguíneo causando uma série de problemas de saúde graves
  • Existem dois tipos de trombos que se distinguem quanto à sua localização em:
    • Trombos arteriais
    • Trombos venosos
  • O patologista Rudolph Virchow postulou que a formação e propagação de um trombo resultavam de anomalias em três áreas conhecidas,no seu conjunto, como tríade de Virchow
  • Actualmente é possível quantificar alguns dos fatores que estão associados a um risco acrescido de TEV e de outras doenças cardiovasculares assim como, de AVC em doentes com FA

Reproduza o vídeo abaixo para visualizar a formação de um trombo

Aprovação N.º: G.MKT.GM.XA.08.2016.1048

Sorry to hear that. Please tell us how we can improve (step 2/2)

Your comments will not be shared publicly

Who are you?

Thank you for your feedback - we very much appreciate it!